MARY ELLEN MARK

Mary Ellen Mark por Ralph Gibson, 1967.

 

            Mary Ellen Mark nasceu em 1940, na Filadélfia, Estados Unidos. Estudou pintura e história da arte na Universidade da Pensilvânia, onde se formou em 1962 e, concluiu o mestrado em fotojornalismo em 1964. Começou sua carreira trabalhando para revistas, com uma fotografia documental clássica, se aproximando de objetos difíceis de fotografar, fazendo normalmente fotos em preto e branco. Os seus trabalhos foram publicados em revistas como LIFE, New York Times Magazine, The New Yorker, Rolling Stone, e Vanity Fair.

            Por décadas, viajou o mundo fotografando lugares em que os excluídos da sociedade habitam, como bordéis, circos, comunidades de rua, instituições psiquiátricas, prisões. Ela tinha a habilidade de se aproximar dos seus fotografados, tanto que manteve contato com alguns deles durante anos. Em suas palavras: “Se algo não te toca emocionalmente, você não irá conseguir fazer uma boa fotografia. Você tem que sentir e se importar com o assunto.” Essa necessidade de conexão com os assuntos que aborda está refletida em suas fotos, que são realmente tocantes e, ao mesmo tempo, trazem dignidade às pessoas. Um exemplo disso é a relação que ela teve com Tiny, uma das crianças moradoras de rua que fotografou para uma matéria da revista Life, em 1983, em Seattle. Mary Ellen continuou a documentar a vida dela por muitos anos, tanto que em 2015 a fotógrafa e seu marido estavam arrecadando fundos para produzir um filme sobre Tiny.

            Em sua extensa documentação de tipos humanos, realizou alguns trabalhos focados em mulheres. O livro “Ward 81” foi publicado após ela viver cerca de um mês em um hospital psiquiátrico do Oregon e documentar a ala feminina da instituição, no ano de 1976. “Falkland Road”, sobre prostitutas de Bombaim, na Índia, é um de seus poucos trabalhos em cores, pois para ela as cores faziam parte da vida daquelas pessoas e, seria impossível fazer em preto e branco sem parecer que estava fazendo um julgamento moral, o que não era de seu feitio. O objetivo dela sempre foi chegar perto dos seus fotografados, em momentos íntimos, e mostrar a humanidade que existe em cada um.

        Mary Ellen entrou na agência Magnum em 1977, onde era uma das poucas fotógrafas mulheres. Mas permaneceu lá pouco tempo, saiu em 1981 para criar seu próprio estúdio. Ela fotografava com filme e nunca migrou para o digital, e dizia que permaneceu no filme pois foi assim que aprendeu a fotografar, fazendo a imagem diretamente na câmera, não no computador.

        Também trabalhou muito com produções cinematográficas, como fotógrafa de still, acompanhando gravações das cenas, e também como produtora, em conjunto com seu marido Martin Bell, diretor de cinema. Entre os filmes que fotografou estão Apocalypse Now (1979) e Fur: An Imaginary Portrait of Diane Arbus (2006), que conta uma história ficcional sobre a também fotógrafa Diane Arbus.

            Nos anos noventa, fez a transição para fotografia de moda e retratos, com campanhas publicitárias para clientes como Coach e Heineken. Mas Mary Ellen sempre preferiu fotografar os não famosos, pois dizia que com eles tinha mais meios de atingir uma conexão profunda. Ao mesmo tempo, continuou seu trabalho documental, fotografando bailes de escolas norte-americanas, crianças autistas e famílias desabrigadas.

            Em 2014, ganhou o Lifetime Achievement in Photography Award, um prêmio muito importante em fotografia, concedido pela George Eastman House. Seu legado é valioso e sua produção é extensa: chegou a publicar 18 livros em vida. A fotógrafa faleceu em 2015, em Nova York, aos 75 anos, de uma síndrome mielodisplásica que afetou seu sangue e medula. Mary Ellen continuava trabalhando, lecionando e criando livros até o momento de sua morte.

 

Beautiful Emine posing, Turkey, 1965.

Federico Fellini on the Set of Satyricon, Italy, 1969.

Girl jumping over a wall, Central Park, New York, 1967.

Kamla behind curtains with a customer, Falkland Road, Bombay, India, 1978

Kamla behind curtains with a customer, Bombay, India, 1978.

Ward 81, Oregon State Hospital, Oregon, 1976

“Rat” and Mike with a gun, Seattle, Washington, 1983.

Mother Teresa at the home for the dying, Calcutta, India, 1980.

A student with her head covered sits on a prayer sheet at Nur Muslim Primary School, established in 1983.

A student with her head covered sits on a prayer sheet at Nur Muslim Primary School, 1983.

The Damm family in their car, Los Angeles, California, 1987.

Tiny in her Halloween costume, Seattle, Washington, 1983.

Amanda and her cousin Amy, Valdese, North Carolina, 1990.

Clayton Moore, o exCavaleiro Solitário, sentado no sofá, Los Angeles Califórnia, 1992

Clayton Moore, o ex-Cavaleiro Solitário, Los Angeles Califórnia, 1992.

Ram Prakash Singh with his elephant Shyama, Great Golden Circus, Ahmedabad, India, 1990

Ram Prakash Singh with his elephant Shyama, Great Golden Circus, India, 1990.

Sue Gallo Baugher e Faye Gallo Twinsburg, Ohio, 1998.

Adam Johnson and Carley Gunter, Austin, Texas, 2008 Photography by Mary Ellen Mark

Adam Johnson and Carley Gunter, Austin, Texas, 2008.

Toccarra Baguma and George Wilkinson, New York City, 2007.

Heather and Kelsey Dietrick, 7 years old. Kelsey, older by 66 minutes, Twinsburg, Ohio, 2002.

Walter and David Oliver, 65 years old. Walter, older by 8 minutes, Twinsburg, Ohio, 2001.

Livros feitos por Mary Ellen Mark:

 

Referências:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s