NAN GOLDIN

Self-portrait

Autorretrato: Balada da dependência sexual

            Nan Goldin nasceu em Washington, em 1953, e cresceu na cidade de Boston, dentro de uma família de classe média alta. Com 14 anos, enfrentou a morte prematura de sua irmã, com então 18 anos, que cometeu suicídio.

          Aos 18 anos foi introduzida à fotografia, começando com uma Polaroid. Sua primeira mostra solo, realizada em Boston, em 1973, foi baseada em suas jornadas fotográficas através das comunidades gays e transexuais da cidade, introduzida no meio pelo amigo David Armstrong. Após completar seus estudos em fotografia, pela School of the Museum of Fine Arts, Boston/Tufts University, Goldin mudou-se para Nova Iorque. Sem dinheiro para sobreviver da fotografia, trabalhou como garçonete em boates. E era exatamente nesses lugares que ela mostrava suas fotos exibidas em slide shows, acompanhadas de músicas por ela mixadas.

       Em sua nova cidade começou, também, a documentar o cenário new-wave pós-punk, simultaneamente à subcultura gay, no final da década de 1970 e começo da década de 1980. Goldin fotografava o mundo do abuso de drogas, amor, sexo, violência e onipresença da morte. Através da intimidade e do afeto em relação aos seus temas, a autora revela a sua vulnerabilidade, bem como a sua própria admiração pela sexualidade.

          “The Other Side” documenta 20 anos de fotos de drag queens amigas de Goldin. O livro é apresentado em ordem cronológica mostrando a vida íntima de quem a identidade de gênero não se conforma com a regra. “Eles eram as criaturas mais lindas que eu já vi. Fiquei imediatamente apaixonada”. Goldin quis prestar homenagem à sua beleza e confiança, como se fosse um terceiro gênero. Ela nunca desmascarou-os com sua câmera.

             Nos anos 80, faz um autorretrato emblemático, em que expõe seu rosto após a agressão de seu então namorado Brian. Em 1991 vai morar em Berlim, graças ao programa da organização Deutscher Akademischer Austauschdienst (DAAD).

         O final dos anos 80 ela considera como um dos mais difíceis da sua vida, pois, além de outros acontecimentos, ela vê muitos de seus amigos morrerem de AIDS e em decorrência do vício em drogas. Durante os anos 90 ela começa, então, com um olhar mais otimista, a fotografar crianças e famílias. E aquela mulher que por tanto tempo fotografou com luz artificial, agora descobre a luz do dia. Fotografa também a natureza, mas sem se desprender de toda dramaticidade e força de seus trabalhos anteriores.

          Em 1996, o Whitney Museum of American Art faz uma retrospectiva do trabalho de Nan chamada “I’ll be your mirror”, que também é lançada em livro. Em 2003 lança uma retrospectiva de sua carreira através do livro “The devil’s playground” e, em 2006, exibe na Matthew Marks “Sisters, saints and sibyls”, um trabalho multimídia, o qual trata sobre a morte da sua irmã, e como ela lidou com isso.

          Atualmente, Nan vive e trabalha entre Paris e Nova York. Olhando para o futuro, tudo o que quer é “passar o resto dos meus dias em liberdade”.

Nan_goldin-Custom-4

Nan one month after being battered, 1984.

 

Nan-goldin

Jimmy Paulette + Tabboo! in the bathroom, 1991.

Heart-Shaped Bruise, 1980.

p1040331

Amanda in the mirror, 1992.

Nan and Brian in bed, 1983.

Rise and Monty Kissing, 1980.

Roommate with teacup, 1973.

Trixie on the Cot, 1979.

Gina at Bruce’s Dinner Party, 1991.

Isabella and Guido’s game, the statue, 2003.

Ulrika, 1998.

Ava twirling, 2007.

Livros feitos por Nan:

  • The Ballad of Sexual Dependency. New York: Aperture, 1986.
  • Cookie Mueller. New York: Pace/MacGill Gallery, 1991.
  • The Other Side. Perseus Distribution Services, 1993.
  • Vakat. Cologne: Walter Konig, 1993.
  • Desire by Numbers. San Francisco: Artspace, 1994.
  • A double life. Zurich: Scalo, 1994.
  • Tokyo Love. Tokyo: Hon don do, 1994.
  • The Golden Years. Paris: Yvon Lambert, 1995.
  • I’ll Be Your Mirror  Zurich: Scalo, 1996.
  • Love Streams. Paris: Yvon Lambert, 1997.
  • Emotions and Relations. Cologne: Taschen, 1998.
  • Ten Years After: Naples 1986-1996. Zurich: Scalo, 1998.
  • Couples and Loneliness. Tokyo: Korinsha, 1998.
  • Nan Goldin: Recent Photographs. Houston: Contemporary Arts Museum, 1999.
  • Nan Goldin. 55, London: Phaidon, 2001.
  • Devils Playground. London: Phaidon, 2003. .
  • Soeurs, Saintes et Sibylles. Editions du Regard, 2005.
  • The Beautiful Smile. Göttingen: Steidl, 2007.
  • Variety: Photographs by Nan Goldin. Skira Rizzoli, 2009.
  • Eden and After. London: Phaidon, 2014.

Filmes sobre Nan:

  • Contacts 2 – Le Renouveau de la photographie contemporaine. 1990 – 2002.
  • Nan Goldin: I remember your face. 2013.

Referências:

  • FRIEDEWALD, Boris. Women Photographers: From Julia Margaret Cameron to Cindy Sherman. Prestel, 2014.
  • MoMA
  • Guggenheim

 

 

 

 

 

Um pensamento sobre “NAN GOLDIN

  1. Pingback: ‘Eu não me importo com “boa” fotografia, eu me importo com completa honestidade. ’ | Carol Dantas – Cursos e Consultoria em Fotografia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s